A Ordem da Princesa: fundação e desenvolvimento da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Caxias/MA – Fontes para sua história

Emília Saraiva Nery

Resumo


O presente artigo aborda a criação da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil na cidade de Caxias, Maranhão. Para a construção da pesquisa, analisamos a figura do bacharel, esboçando a importância que ele exercia no Brasil desde os primórdios, tornando-se um elemento de distinção social, principalmente com os bacharéis de direito. Com a criação do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), haveria uma maior organização da classe, pois através dos seus estudos e debates das legislações e jurisprudências auxiliavam a estruturação do Estado brasileiro. Por outro lado, o referido Instituto abriu caminhos para a instalação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) promovendo modificações em frente à sociedade vigente. Com esse embasamento nacional, objetiva-se, por fim, nesse trabalho, tornar conhecidas as fontes de pesquisa institucionais, orais e hemerográficas que tratam da criação e desenvolvimento da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil na cidade de Caxias/MA e as transformações que ela proporcionou nesta sociedade, especialmente para os advogados.

Texto completo:

PDF

Referências


BORGES, Vavy Pacheco. O que é história. 2ªed. rev. – São Paulo: Brasiliense, 2007.

BOURDIEU, P. O capital social – notas provisórias. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Org.). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1988.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

DANTAS, Humberto. O bacharel em Direito como o homem público brasileiro. Revista Mediações, Londrina, v.8, n.1, p.25-46, jan./jun. 2003.

FREYRE, Gilberto. Casa – grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51ª ed. ver. – São Paulo: Global, 2006.

KOZIMA, José Wanderley. Instituições, retórica e o bacharelismo no Brasil. In: WOLKMER, Antônio Carlos. Fundamentos de História do Direito. 4ed. Belo Horizonte: Del Rey, 2008.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de História Oral. 5. ed. SP: Edições Loyola, 2005.

MESQUITA, Letícia. Memorias de Caxias, cada rua sua história. Câmara municipal de Caxias. Caxias – MA, 1992.

MIRANDA, Antônio Luiz Alencar. A construção histórica do espaço urbano de Caxias. In: Percorrendo becos e travessas: feitios e olhares das histórias de Caxias. Teresina: Edufpi, 2010.

MOTTA, Marly Silva da. A ordem dos advogados do Brasil: entre a corporação e a instituição. Ciência Hoje. Rio de Janeiro, v.39, p. 32-37, dez. 2006.

NINA, Carlos Sebastião Silva. SERRA JÚNIOR, Walmir de Jesus Moreira. Pela Ordem. São Luís: Tribuna da Cidadania, 2006.

OAB, Maranhão. Disponível em: http://www.oabma.org.br/sobre/historia/. Acessado em: 27/07/2016; às 21:38h).

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & História Cultural. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

PINHEIRO, Odette de Godoy. Entrevista: uma prática discursiva.In: SPINK, Mary Jane (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez, 1999.

POLLAK, Michel. Memória, Esquecimento, Silêncio. In: Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, 1989.

PRINS, Gwyn. História Oral. In: A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: Editora da UNESP, 1992.

QUINCAS, Vilaneto. Catálogo histórico da imprensa caxiense: do prelo ao prego: 1833 – 2007. V.3, Caxias: Estação Gráfica Ltda, 2008.

REGINA, Tania. A história da imprensa no contexto da historiografia brasileira. Revista Comunicação e Mercado, Mato Grosso do Sul, vol.1, n.2, nov.2012.

SILVA, Kalina Vanderlei; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de conceitos históricos. São Paulo: Contexto, 2006.

SOUZA, Ricardo Luiz de. Da crítica ao bacharel à construção do autoritarismo. Mneme: revista de humanidades, Minas Gerais, v.1, n.1, ago./set. 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.