A atividade do planejamento: sentido social e político

Bruno Peres Freitas

Resumo


Este ensaio aborda a temática do planejamento, sua dimensão racional, social e política. Sua finalidade é problematizar, de modo exploratório, o caráter tradicional tecnocrático desta atividade, bem como desvelar a sua propensão historicamente autoritária e, deste modo, lançar luz sobre a sua dimensão social e política. Nesta direção, sustenta-se a idéia de que a atividade do planejamento, para além de ser um procedimento de caráter meramente instrumental, deve envolver a reflexão crítica, sintonizada com os valores democráticos. 


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

_______. Sobre a Violência. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

ARISTÓTELES. Política. Texto integral. Coleção: A obra-prima de cada autor. Tradução: Pedro Constantin Tolens. São Paulo: Martin Claret, 2010.

BARBOSA, Mário da Costa. Planejamento e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1991.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e Democracia: o discurso competente e outras falas. São Paulo: Editora Moderna, 1981.

CHIAVENATO, I. Introdução a Teoria Geral da Administração. 4 ed. São Paulo : Atlas, 1999.

DEMO, Pedro. Participação é conquista. São Paulo: Cortez, 1988.

FERREIRA, Victor Cláudio Paradela [et. al.]. Modelos de gestão. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

FREITAS, Bruno Peres. Caminhos do Planejamento: alternativas de reflexão e ação na contemporaneidade. Cadernos Zygmunt Bauman, v. 5, 2016.

GANDIN, Danilo. A Posição do Planejamento Participativo entre as Ferramentas de Intervenção na Realidade. Currículo sem Fronteiras, v.1, n.1, pp.81-95, Jan/Jun 2001.

LUCKESI, Carlos Cipriano. Avaliação da Aprendizagem Escolar. 14ª ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SARTRE, J. P. O existencialismo é um humanismo. Tradução: Vergílio Ferreira. São Paulo: Abril S.A., 1973.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.