A importância do lúdico à criança hospitalizada: Revisão Integrativa

Mayanny da Silva Lima Silva Lima, Francisco Alisson da Silva Barbosa Alisson Silva, Luana de Moura Monteiro Moura Monteiro

Resumo


Objetivo: descrever a importância da ludicidade à criança dentro do ambiente hospitalar. Metodologia: Trata-se de um estudo de revisão literária, descritiva e exploratória do tipo revisão integrativa. O levantamento de artigos relacionados a essa temática foi realizada nos periódicos indexados nas bases de dados: LILACS, ScieLO realizado através do portal da Biblioteca Nacional de Saúde – BVS, nos meses de julho a setembro de 2015. Os descritores utilizados foram: hospitalização; criança; jogos e brincadeiras. Os critérios de inclusão para a seleção do estudo foram: ser artigo, disponível online, texto completo e gratuito, divulgados em língua portuguesa, em periódicos nacionais e internacionais entre os anos de 2000 e 2015. Resultado: Dos artigos encontrados 14 estavam de acordo com a proposta da temática. Estes, apresentaram resultados satisfatório quanto a utilização de matérias lúdicos dentro da unidade hospitalar de forma a potencializar a recuperação do menor.  Conclusão: O lúdico no ambiente hospitalar proporciona a criança melhor aceitação ao tratamento e adaptação a esse ambiente, bem como uma maior socialização com as outras crianças e profissionais, facilitando a interação e compreensão da criança hospitalizada.

Texto completo:

PDF

Referências


Francischinelli, AGB. et al., Uso rotineiro do brinquedo terapêutico na assistência a crianças hospitalizadas: percepção de enfermeiros. Acta paul. Enferm. 2012(25)1:18-23. Disponível em:.

Macedo, ACL. et al. Produção científica no brasil a respeito da brinquedoteca/brinquedoterapia em períodicos publicados no período de 1996 a 2012. Rev. Eletr. Gestão & Saúde, 2013(04)02:467-81. Disponível em:

Sousa, RD et. al., A importância do Brincar para as Crianças Oncológicas na Percepção dos Cuidadores: em um Hospital de Referência na Cidade de Belém, Estado do Pará, Brasil. Revista de Pediatria SOPERJ – 2013, (14)1:21-25. Disponível em:file:///C:/Users/May/Downloads/v14n1a06.pdf.

Rodrigues I, Maranhão DG. O brincar na assistência de enfermagem à criança hospitalizada. Rev. Enf. UNISA 2000,(1)51:73-84. Disponível em:

Mendes KS, Silveira RCCP, Galvao CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto – enferm., Florianópolis, 2008.(17)4,758-764, Disponível em: .

Pedrosa, AM; Monteiro, H; Lins, K; Pedrosa, F; Melo, C. Diversão em movimento: um projeto lúdico para crianças hospitalizadas no Serviço de Oncologia Pediátrica do Instituto Materno Infantil Prof. Fernando Figueira, IMIP. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife,2007(1): 99-106. Disponívem em: .

Azevedo AVS. O brincar da criança com câncer no hospital: análise da produção científica. Estudos de Psicologia. Campinas, 28(4)1, 565-572. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v28n4/15.pdf>.

Borges EP, Nascimento MDSBS, Silva MM. Benefícios das atividades lúdicas na recuperação de crianças com câncer. Bol.Acad. Paul. Psicol. São Paulo, 2008. (28)2,211-221. Disponível em: file:///C:/Users/Francisco/Downloads/5095-54565-1-PB.pdf>

Santos DPS. A influência do lúdico no ambiente hospitalar infantil. [Monografia]. Maringá, 2012. Disponível em: .

Depianti, JRB; Silva, LFda; Carvalho, AS, Monteiro, ACMN. Nursing perceptions of the benefits of ludicity on care practices for children with cancer: a descriptive study. Online braz j nurs. 2014,(13)2:158-165. Disponívem em: < http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-42852014000200005>.

Hostert PCCP, Enumo, SRF, Loss, ABMotta. Brincar e problemas de comportamento de crianças com câncer de classes hospitalares. Psicol. teor. prat. 2014(16)1:23-33. Disponível em:< http://www.bibliotekevirtual.org/index.php/2013-02-07-03-02-35/2013-02-07-03-03-11/220-psicologia/v16n01/1271-v16n01a10.html>.

Mussa C, Malebri FEK. O impacto da atividade lúdica sobre o bem estar de crianças hospitalizadas. Psicologia Teoria e Prática. São Paulo,2008. (10)2:83-93. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/viewFile/471/284>.

Nicola GDO, Ilha S, Dias MV, FreitasHMB, Backes DS, Gomes GC. Percepções do familiar cuidador acerca do cuidado lúdico à criança hospitalizada. Rev. Enferm. Recife,2014(8)4:981-6. Disponível em: .

Schneider CM, Medeiros LG. Criança hospitalizada e o impacto emocional gerado nos pais. Unoesc & Ciência. Joaçaba, 2011(2)2:140-154. Disponível em:.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.