Análise dos fatores de vulnerabilidade à infecção por HIV/AIDS em população negra

Juliana Santos Andrade, Geciane dos Santos Lima, Francisco Braz Milanez Oliveira

Resumo


Objetivo: Analisar os enfoques abordados na produção científica acerca das vulnerabilidades às infecções sexualmente transmissíveis na população negra. Metodologia: Estudo de revisão integrativa da literatura onde utilizou-se a estratégia PICo  formulando a seguinte questão não-clínica: “Qual a prevalência e os fatores associados à vulnerabilidade às Infecções Sexualmente Transmissíveis nessa população?”. A coleta de dados foi realizada nas seguintes bases de dados: PubMed da National Library of Medicine , CINAHL(Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature), Scopus da ELSEVIER e Web of Science da Thomson Reuters Scientific. Encontrando um total de 13 artigos. Resultados: Os estudos revelam que a pobreza esta diretamente relacionada ao desemprego e também à baixa escolaridade, o que os levam a não procurar os serviços de saúde. A multiplicidade de parceiros e o sexo sem proteção foi outro fator de destaque no estudo para o risco de contrair HIV ou IST’s. A depressão e o uso abusivo de álcool e outras drogas foram vistos como potencializadores para a aquisição das IST’s incluindo o HIV, devido à tomada de decisão para comportamento sexual de risco. Conclusão: Constatou-se nesse presente estudo a grande vulnerabilidade para a aquisição do HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis na população negra, que vão desde comportamentos sexuais indevidos a fatores sociais, emocionais, econômicos e demográficos.

 

Descritores: Populações Vulneráveis; Fatores de Risco; HIV. 


Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque VS et al. Mulheres Negras e HIV: determinantes de vulnerabilidade na região serrana do estado do Rio de Janeiro. Saúde Soc. São Paulo, v.19, supl.2, p.63-74, 2010. Disponível em :< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902010000600007> Acesso em 21 de abril de 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. A Saúde da População Negra e o SUS - Ações Afirmativas para avançar na equidade. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. Disponívelem: Acesso em: 19 de abril de 2016.

Cardoso LGV et al. Prevalência do consumo moderado e excessivo de álcool e fatores associados entre residentes de Comunidades Quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Ciênc. saúde coletiva, vol.20 n.3. Rio de Janeiro, Mar/ 2015. Disponível em : Acesso em: 18 de abril de 2016.

Barroso SM et al. Fatores associados com a depressão: diferenças sexuais entre moradores de comunidades quilombolas. Rev. bras. Epidemiol, vol.18 n.2. São Paulo Abr./Junho, 2015.Disponível em :< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2015000200503&lng=en&nrm=iso&tlng=en> Acesso em : 19 de abril de 2016.

Oliveira SKM et al. Autopercepção de saúde entre os quilombolas no norte de Minas Gerais, Brasil. Ciênc. saúde coletiva, vol.20 n.9. Rio de Janeiro, setembro/ 2015. Disponível em :< http://ww.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000902879&lng=en&nrm=iso&tlng=en> Acesso em : 22 de abril de 2016.

Brooks AJ et al. Racial/Ethnic differences in the rates and correlates of HIV risk behaviors among drug abusers. Am J Addict, United States, 2014. Disponível em :< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3576857/> Acesso em: 01 de abril de 2016.

Seth P et al. The Impact of Alcohol Use on HIV/STI Intervention Efficacy in Predicting Sexually Transmitted Infections Among Young African-American Women. AIDS Behav. 2014 Apr; 18(4): 747–751. Disponível em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4260401/> Acesso em : 07 de abril de 2016.

Brown M, Kenyon C, Lurie MN. Diferenças de idade dos parceiros e concorrência na África do Sul: Implicações para o risco de infecção do HIV entre mulheres jovens. AIDS Behav. 2014 Dez; 18 (12): 2469-76. Disponível em:https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25047687 Acesso em: 11 de abril de 2016.

Mayers KH et al. Concomitant Socioeconomic, Behavioral, and Biological Factors Associated with the Disproportionate HIV Infection Burden among Black Men Who Have Sex with Men in 6 U.S. Cities. Jounals plos,United States, 2014. Disponível em :< http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0087298> Acesso em 23 de abril de 2016.

Brawner BM et al. Clinical depression and HIV risk-related sexual behaviors among African American adolescent females: Unmasking the numbers. AIDS Care, United States,2014. Disponivel em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4266377/> Acesso em: 11 de abril de 2016.

Danielson CK et al. HIV-related sexual risk behavior among African American adolescent girls. J Womens Health (Larchmt). 2014. Disponível em:>https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24749895> Acesso em 10 de abril de 2017.

Mojola SA, Everett B. STD and HIV Risk Factors Among U.S. Young Adults: Variations by Gender, Race, Ethnicity and Sexual Orientation. Perspect Sex Reprod Health. 2013 Jun; 44(2): 10.1363/4412512. Disponível em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3837530/> Acesso em: 12 de abril de 2016.

Ojikutu B et al. All black people are not alike: differences in HIV testing patterns, knowledge, and experience of stigma between U.S.-born and non-U.S.-born blacks in Massachusetts. AIDS Patient Care STDS. 2013 Jan;27(1):45-54. Disponível em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23259482> Acesso em: 12 de abril de 2016.

Ivy W et al. Correlates of HIV Infection Among African American Women from 20 Cities in the United States. AIDS Behav. 2014 Abr; 18 (Suplemento 3): 266-275. Disponível em:https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5057389/ > Acesso em 12 de abril de 2016.

Irvin R et al. Examining levels of risk Behaviors among black men who have sex with men (MSM) and the association with HIV acquisition. J. PLoS One. 2015. Disponível em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4331540/> Acesso em: 23 de abril de 2016.

Gant Z et al. A census tract-level examination of social determinants of health among black/African American men with diagnosed HIV infection, 2005-2009--17 US areas. PLoS One. 2014 Sep 30;9(9).2014. Disponível em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25268831> Acesso em: 23 de abril de 2016.

Koblin BA et al. Correlates of HIV Acquisition in a Cohort of Black Men Who Have Sex with Men in the United States: HIV Prevention Trials Network (HPTN) 061. journal.pone. United States, 2013. Disponível em:< http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0070413> Acesso em: 13 de abril de 2016.

Kenyon C et al. HIV Prevalence by Race Co-Varies Closely with Concurrency and Number of Sex Partners in South Africa. PLoS One . 2013. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3660381/> Acesso em: 20 de abril de 2016.

Garcia S, Souza FM. Vulnerabilidades ao HIV/aids no Contexto Brasileiro: iniquidades de gênero, raça e geração. Saude soc,vol.19 , supl.2, São Paulo, 2010. Disponível em :< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902010000600003> Acesso em : 11 de outubro de 2016.

Andrade JS et al. Capacidade de autocuidado em saúde na população negra quilombola. ReonFACEMA, 2(4):291-296, Caxias-MA, 2016. Disponível em:< http://www.facema.edu.br/ojs/index.php/ReOnFacema/article/view/160

> Acesso em 04 de janeiro de 2017.

Figueiredo R, Peixoto M. Profissionais do sexo e vulnerabilidade. BIS, Bol Inst Saúde, V.12, N.2. São Paulo, 2010. Disponível em:< http://www.usp.br/nepaidsabia/images/BIBLIOTECA/_MIGRAR/artigo-Prostituicao-publicado.pdf> Acesso em 17 de abril de 2016.

Lages SRC et al. Desafios para o enfrentamento ao hiv/aids entre os homossexuais negros. Encontro: Revista de Psicologia ,vol. 17, Nº. 27. Minas Gerais, 2014. Disponível em:< www.pgsskroton.com.br/seer/index.php/renc/article/download/2996/2811> Acesso em 17 de abril de 2016.

Brasil. Onubr. A ONU e a resposta à aids no Brasil.2016 Disponível em:< http://unaids.org.br/wp-content/uploads/2016/03/A-ONU-e-a-resposta-PORTUGU%C3%8AS.pdf> Acesso em 17 de abril de 2016.

Felix G, Ceolim MF. O perfil da mulher portadora de HIV/AIDS e sua adesão à terapêutica antirretroviral. Revista da Escola de Enfermagem da Usp, v. 4, n. 46, p.884-891. São Paulo. 2012. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46n4/15.pdf> Acesso em 17 de abril de 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.